Depoimento: Eu, A. A. B. A., 42 anos, solteiro, natural de Vitória da Conquista-Ba

Em primeiro lugar quero agradecer a Deus por ter me dado a vida, por ter dado saúde ao meu pai, in memória, que teve disposição para trabalhar e colocar alimentação na mesa para nós. Quero agradecer a minha mãe, quero dizer para ela que não teve culpa nenhuma pela minha adicção. Quando eu tinha 13 anos trabalhava na loja do meu tio, foi quando eu comprei um livro “Tudo sobre Drogas”, esse livro me incentivou a usar drogas, falava sobre a maconha, álcool, cocaína, heroína etc. Fiquei pensando como será o efeito dessas drogas, principalmente da heroína, quando completei 16 anos, comecei a tomar cerveja, aos 17 anos a fumar maconha, aos 19 a cheirar cocaína, nesse período usei vários tipos de drogas, quando estava preste a completar 28 anos, resolvi ir para Londres, onde morei quatro anos e alguns meses, lá usei vários tipos de drogas como: maconha, Skank, LSD, heroína, ectasy etc. Lá eu sempre morei com pessoas de outros países, me interessei muito pela cultura deles, principalmente pela inglesa, ficava observando e analisando ao comportamento deles.

Quando chegou ao ano de 2000, quando eu estava preste há completar 33 anos, comecei a escutar vozes, como escuto até hoje. Certo dia saindo de uma reive, veio mil pensamentos ao mesmo tempo, foi quando comecei a entrar em paranóia, fiquei vários dias sem dormir, foi quando estava na rua comecei a passar mal, quando me dei por mim estava dentro de uma ambulância, foi quando eles me levaram para um hospital, era mais ou menos 17 horas, chegando lá eles fizeram vários exames, colocaram vários aparelhos no meu corpo, eles constataram que o meu problema era o uso abusivo de drogas sintética, foi quando na madrugada, eles me levaram para uma clínica de dependentes químicos, onde fiquei internado por alguns dias, não vou fazer comentário sobre essa clínica porque não podemos comparar a Inglaterra com o Brasil, depois de alguns dias tentei o suicídio, tentei tomar alguns comprimidos, foi quando os ingleses me seguraram, depois desse dia eles colocaram funcionários para me observar 24 horas, depois de três dias fizeram uma reunião com alguns profissionais, nos quais eram psicólogos e psiquiatras, lembro-me como se fosse hoje, eles fizeram um semi-circulo tinham sete profissionais, queria ter a certeza que eu não iria tentar o suicídio novamente, foi quando eu me demonstrei tranqüilo e passei confiança para eles, lembro-me que quando eles estavam conversando comigo as vezes eu baixava a cabeça e conversava com eles com as vistas baixas, imediatamente um deles falou por favor converse comigo olhando nos meus olhos.

Aqui no Brasil se eu for conversas com algumas psicólogas olhando nos olhos, elas pensam que eu estou com liberdade, infelizmente isso é nossa cultura, o que me chama mais a atenção nos ingleses é sua educação, tudo eles falam obrigado, por favor, etc. certo dia resolvi fazer um exame de vista, marquei a consulta para as 10 horas, cheguei lá era 9h40min. Quando passou 3 minutos saiu o último paciente, só fiquei eu e a secretária, fiquei pensando porque eles não me manda entrar, se não tem mais ninguém, quando deu exatamente 10 horas, ela me mandou entrar, fiquei impressionado com isso. Com o passar de alguns meses tirei o dia para usar speed, é uma droga muito usada pelos ingleses, o efeito é parecido com o da cocaína, cheirei tanto que a minha mandíbula ficou dormente, fiquei rangendo os dentes, foi quando quebrou o meu dente, quando resolvi ir ao dentista, na época eu morava no hotel na Shoot Up Hill, o consultório era 3 minutos do hotel, marquei a consulta para as 9 horas, cheguei lá era 8h30min. Foi quando às 8h40min. Saiu o último paciente, fiquei esperando 20 minutos para ser atendido, foi quando deu exatamente 9 horas eles me atenderam. Aqui no Brasil se você marca a consulta para as 13 horas, alguns médicos chegam às 16 horas e às vezes nem olham para o rosto do paciente, acho que vocês da sociedade tem que dar exemplos nas simples coisas, porque o nosso país vai de mal a pior, o mau dos brasileiros é que eles se sentem auto-suficientes, só porque tem uma boa posição social, uma boa situação financeira etc.

Quando comecei a me sentir melhor resolvi retornar para o Brasil, chegando aqui comecei a trabalhar com o meu irmão, comecei a fazer tratamento com o Dr. Eduardo Lêdo, no CEAD, no ano de 2002 fui transferido para o CAPS II, onde conquistei várias amizades como: Stael, Luana, Célia, Nádia, Zete, Rosely, Ulisses, Romeu, Verônica, Altino, Bárbara, Alfa, Paula, Meiry, Jussara, Luciana e Bruna. Guardo boas lembranças desses profissionais, principalmente Stael, as vezes eu chegava no CAPS, sem escovar os dentes, com as unhas sujas e ao invés dela comentar com as pessoas falando da minha higiene pessoal, simplesmente ela falava:” André você tem que escovar os dentes e cortar as unhas”, eu não ficava com raiva, pelo contrário ficava contente. Com o passar de alguns meses fui para um centro de recuperação em Belo Horizonte, lá era um centro sem estrutura nenhuma, tinha mais de cem internos. Quando chegou ao ano de 2007 fui para COTEFAVE, consegui ficar por dois meses, o meu poder de concentração não estava bom, e lá só tinha trabalho físico, não tinha psicólogo etc.

Saindo da COTEFAVE resolvi ir para a Fazenda da esperança, em Jequié, fiquei seis meses, gostei do Pe. Tom um homem muito inteligente, retornando para Conquista com alguns meses limpo, tive uma recaída, infelizmente o crack me levou para o buraco novamente, no dia 26 de dezembro de 2008, resolvi retornar para COTEFAVE, chegado lá me surpreendi com o desenvolvimento, hoje não posso comparar a COTEFAVE com outros centros, aqui todas as manhã temos leituras bíblicas, terça pela manhã temos estudo bíblico com o alemão Ivo, quarta feira temos reunião com a psicanalista e psicopedagoga Alcione Cajahyba, uma mulher inteligente e agradável, quarta à tarde temos aula de arte, com o professor Jean Ítalo, quinta temos reunião do NA, os dozes passos de Narcóticos Anônimos, na sexta pela manhã temos aula de redação com o professor Manuel, a tarde temos consulta com o psicólogo Thiago, sábado pela manhã temos atendimento odontológico com  o Dr. Sérgio, a tarde temos futebol, domingo às 9 horas da manhã temos missa com o Pe. Edilberto, um homem muito inteligente, sei que hoje em dia a maior dificuldade dele não é arranjar contribuintes, e sim o relacionamento com nós adictos. Quero agradecer aos médicos que prestam serviços aqui na COTEFAVE, ao Dr. Alisson Ribeiro Botelho, Gabriela Ribeiro Botelho, Walmick Correia, Francisco Lauto e Léo.

Todos nós temos defeito de caráter, principalmente nós adictos, porque a droga elimina o amor, eu falo que todos nós seres humanos temos defeito de caráter porque os maus pensamentos é um defeito de caráter, e temos em média 60.000 pensamentos por dia, em um mês são quase 2.000.000 de pensamentos, é impossível só temos bons pensamentos, quero dizer que o poder e o dinheiro cobrem até o preconceito, a pessoa que é homossexual, quando é da sociedade as pessoas chamam de senhor, mas quando é pobre o pessoal a chama de viado. A filha de empresário quando tem relação sexual com vários homens o pessoal fala que é menina namoradeira, a pobre é puta. Quero falar para os pais que nunca brigam com os seus filhos, não deixe que eles fiquem com medo de vocês, e sim respeito, porque esse medo quando eles estiverem adultos pode se transformar em revolta, procure dar estudos para o seu filho, para ter uma profissão quando adulto, caso ele não querer estudar bote ele para trabalhar, para dar valor, nunca compre o seu filho com bens materiais, se caso vocês derem tudo para o seu filho de mão beijada, quando vocês morrerem eles vão acabar com tudo que vocês construíram na vida inteira, em poucos anos, pois o dinheiro não dar uma boa educação, ajuda é claro, para estudar em bons colégios, freqüentar bons ambientes etc.

Uma boa educação se dar é com respeito, carinho, amor, compreensão, se só o dinheiro desse um boa educação os filhos dos deputados em Brasília não colocavam fogo no índio Galdino, o filho do Rei Pelé não se envolveria no tráfico de drogas, acho que as drogas só é uma conseqüência, porque a verdadeira droga está no nosso interior, no defeito de caráter. Tem coisas que não entram na minha cabeça, estava assistindo uma reportagem quando o repórter falou agora vamos falar com o homem mais importante do mundo, o presidente dos Estados Unidos, não existe o mais importante, vou te dar um exemplo: se caso você estiver com uma doença grave e o médico lhe fizesse uma operação de sucesso, quem seria o mais importante o médico ou o presidente? Sua família ou o rei e a rainha? Vou falar um pouco de Deus, acho um absurdo os seres humanos quererem descobrir os segredos de Deus, o primeiro homem a ir a lua foi um russo, o país que mais investe nesse projeto são EUA, eles invertem bilhões de dólares, agora eu pergunto que mal a lua faz com os seres humanos? Quanto aos estudos sobre vulcão concordo plenamente, porque a qualquer momento ele pode vir à erupção e matar varias pessoas, você já imaginou como o nosso Deus ficaria feliz se esses dinheiros que os americanos investem na lua investissem em alimentação para o pessoal da Etiópia, Haiti, Sudão etc. nesse momento estou lembrando-me de um acontecimento que ocorreu em 1988, quando eu estava no Motel Hollywood, foi quando depois de uma relação eu fiquei deitado ao lado da companheira, foi quando ela me disse: “André eu gostaria que o mundo parasse nesse momento, pensei comigo. Como Deus é perfeito, se ela estivesse com uma terrível dor de cabeça ou de dente e se Deus resolvesse parar o mundo! Deus sabe o que faz… Escolhi dois profissionais que mais se desempenharam no meu tratamento, para elas dou nota 10 a Dra. Célia Baqueiro, psiquiatra, e a Luana Silveira, psicóloga. Eu ficava pensando de que eu sou fruto. Hoje tenho a certeza de que eu sou fruto do nada, e esse nada é Deus, Ele é o Nada, o Tudo o Início, o Meio e o Fim. Nós seres humanos somos cheios do bem e do mal, da fé e da ira, têm dias que praticamos mais o Bem, tem dias que praticamos mais o mal, alguns dias ficamos entre o bem e o mal, mas no final da nossa caminhada seremos julgados pelo amor, porque Deus é Amor!

Atenciosamente,

A. A. B. A

3 respostas para “Depoimento: Eu, A. A. B. A., 42 anos, solteiro, natural de Vitória da Conquista-Ba”

  1. Rosana disse:

    Olha!!!

    Quando começei ler o seu depoimento,fiquei chocada com o uso de tantas drogas,com a continuação percebi tambem o quanto é devastador o uso da droga,ela simplesmente deixa a pessoa numa confusão mental terrível.Mas Deus com o seu poder e o seu amor infinito entrou em sua vida e isso é maravilhoso pois agora com certeza você vai colher os frutos da misericórdia de Deus que é infinita.

    Um forte abraço Deus te abençoe

  2. caique xavier disse:

    ow cara que bom que conseguiu …Deus que te abençoe …. só que como dizem os loucos … “louco que é louco não para, dá um tempo” espero que não seja só um tempo e que tudo dê certo para ti … espero que curta muito a vida de uma maneira saudável sem drogas, sem “loukuras” e sem brisas que sempre são as mesmas, mas nunca as mesmas sensações … queria ter essa força q vc teve …… Maaasss espero que um dia eu consiga …… Deus te abençoe muitoo …….

  3. zaqueu disse:

    poxa você passou por cada uma, você é mesmo especial pra Deus e pra humanidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *